SETOR METALÚRGICO E METALOMECÂNICO EM FORÇA NA EMAF PARA MOSTRAR NOVIDADES DE UM SETOR QUE VALE 19 MIL MILHÕES DE EUROS EM 2018

Feira Internacional de Máquinas, Equipamentos e Serviços a 21 de novembro, na Exponor

O setor metalúrgico e metalomecânico, um dos grandes destaques da edição de 2018 da EMAF – Feira Internacional de Máquinas, Equipamentos e Serviços, que se realiza de 21 a 24 de novembro, na Exponor, já vale cerca de 16 por cento do Produto Interno Bruto nacional, fruto de uma subida das exportações, em 2017, para 16,4 mil milhões de euros. A previsão deste indicador para o corrente ano assenta num crescimento de 15 por cento, para 19 mil milhões de euros.

Assumindo uma vertente fortemente exportadora, o setor tem como principais mercados clientes Espanha, Alemanha e França, em termos europeus, e Estados Unidos da América, fora da Europa. O crescimento das vendas ao estrangeiro assenta ainda no esforço de inovação das empresas portuguesas, algo que será bem visível nas propostas que serão apresentadas na EMAF, que tem na indústria 4.0 o seu grande foco.

As empresas nacionais deste setor estão muito atentas a esta mudança de paradigma na economia e na indústria e, nesse sentido, muitas delas estão já a desenvolver processos de digitalização, automação e robotização das suas fábricas. Rafael Campos Pereira, vice-presidente da Associação dos Industriais Metalúrgicos, Metalomecânicos e Afins de Portugal (AIMMAP), assegura, no entanto, que “esta robotização não visa a destruição de postos de trabalho, mas sim a substituição de perfis profissionais mais obsoletos por outros com maior densidade tecnológica e mais valor acrescentado”. Para tal efeito, adianta Rafael Campos Pereira, “é indispensável um investimento cada vez maior em formação e inovação, nomeadamente em vertentes como a inteligência artificial, a cibersegurança, a automação, a robótica ou as ferramentas digitais”.

Desta forma, a EMAF reveste-se de enorme importância para o setor metalúrgico e metalomecânico em geral e para o segmento das tecnologias de produção muito em particular. No entender do responsável da AIMMAP, “é uma feira com visibilidade crescente e na qual expõem empresas de grande qualidade e que são tecnologicamente muito evoluídas”, frisando ainda que “tendo em conta a reputação que fez por merecer, esta feira atrai compradores de grande relevância e credibilidade. Naturalmente, estão reunidos os pressupostos para que seja possível desenvolver negócios e articular parcerias por parte de muitas empresas deste setor”.

Maior participação de sempre

A EMAF deste ano vai contar com a maior participação internacional de sempre, confirmando assim a crescente importância do certame na abordagem às novas tendências do mundo industrial. O espaço expositivo encontra-se esgotado desde Abril, ocupando a totalidade da Exponor, com cerca de 450 empresas a marcarem presença. Destaque para o reforço da participação internacional, com as empresas espanholas em maioria. Todavia, outras geografias vão ganhando peso, como França, Alemanha e Itália.

Sob o mote «Na vanguarda das soluções e tecnologias de futuro», a EMAF contará ainda com o IX Concurso de Inovação destinado a promover as mais recentes tecnologias e soluções para a indústria.